A INFÂNCIA DE JESUS

Texto Áureo: Lc. 5.22 – Leitura Bíblica em Classe: Lc. 2.40-51
Pb. José Roberto A. Barbosa
http://subsidioebd.blogspot.com/
Objetivo: Mostrar que Jesus foi jovem e criança, crescendo em estatura e em graça diante de Deus e dos homens.

INTRODUÇÃO
Os relatos bíblicos a respeito da infância de Jesus são bastantes esporádicos. Lucas, o evangelista, nos apresenta alguns vislumbres desse período da vida do Senhor. Segundo o escritor sacro, Jesus crescia em estatura e graça diante de Deus e dos homens. Na lições de hoje, estudaremos a respeito do contexto no qual Jesus nasceu e cresceu, com ênfase primordial em sua infância e juventude, que servem de exemplo para os jovens atuais.

1. O MUNDO QUANDO JESUS NASCEU
Quando Jesus nasceu, os romanos tinham ampla dominação mundial. Os judeus, desde 63 a. C., estavam sob o governo de César. Jesus nasceu durante o império de Otávio Augusto (Lc. 2.6,7). Essa época é conhecida como “pax romana”, pois em virtude da ausência de guerras, o Império pode investir em outras edificações, como estradas, que serviriam, posteriormente, para a expansão do cristianismo. Antes dos romanos, Alexandre Magno, o grego, helenizou as terras que havia conquistado. Esse processo de aculturação foi tão intenso que os romanos, ainda que tenham dominado os gregos politicamente, acabaram absorvendo sua estilo de vida. A língua franca, naqueles tempos, era o grego koinê, que serviu para a pregação do evangelho e a escrita dos textos do Novo Testamento. A religião principal, entre os judeus, herdeiros da promessa de Abraão, os direcionava a ter expectativa por um Messias que libertaria do jugo dos seus inimigos. Nesse período, denominado por Paulo de “plenitude dos tempos”, Cristo veio à terra. “nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl. 4.4,5).

2. A FASE INFANTO-JUVENIL DE JESUS
Há apenas alguns poucos textos, na Bíblia, que tratam a respeito da infância de Cristo. Por isso, não devemos especular demasiadamente sobre assunto, sob o risco de fantasiarmos e construir um Jesus que não passa de lenda, produto de narrativas fictícias ou relatos espúrios, carente de legitimidade tanto histórica quanto evangélica. Em sua narrativa, Lucas diz que “o menino [Jesus] crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele” (Lc. 2.40). O desenvolvemos de Jesus, de acordo com esse testemunho, se deu de modo integral, isto é, envolvendo o físico, o mental e o espiritual (I Ts. 5.23). O fortalecimento físico revela o cuidado do Senhor com o corpo, especialmente com a alimentação e o sono (Jo. 21.9,23; Mt. 8.24). Que isso sirva de exemplo para nós atualmente, já que, devido à influência helenista, e não bíblica, somos levados a pensar que o corpo é algo maléfico, confundindo-o com a natureza carnal e pecaminosa. O corpo é morada e templo do Espírito Santo, e deve ser tratado como tal (I Co. 6.19,20). Jesus também se desenvolvia em sabedoria, isto é, na aplicação apropriada do conhecimento que tinha do Pai. A sabedoria, na Bíblia, não é mero enciclopedismo, mas uma atitude contínua de submissão e temor ao Senhor (Pv. 9.10). O desenvolvimento espiritual de Cristo fora atestado pela aprovação, do Pai, de tudo quanto fazia, desde a sua infância até a idade adulta (Mt. 3.17).

3. A JUVENTUDE DE JESUS
Ainda na juventude Jesus mostrava preocupação com a mensagem do Pai. Isso é explicitado no Seu encontro com os doutores, quando os ouvia e interrogava (Lc. 2.46). Não é dito, no texto, que o Senhor os ensinava, pois a Sua hora não havia ainda chegado (Jo. 2.4). Temos, nessa passagem, mais um exemplo para os jovens dos dias atuais, a fim de que, como Timóteo, se mantenham apegados à Palavra, com disposição para aprender (II Tm. 3.15), meditando sempre nas grandezas do Criador, especialmente, nos dias da juventude (Ec. 12.1). Isso é condição para a sobrevivência espiritual, já que a juventude moderna se esqueceu de Deus, elegendo o prazer egocêntrico como meta de vida. A satisfação se transformou em deus, de modo que aqueles que querem fazer a boa, perfeita e agradável vontade do Deus Vivo e Verdadeiro (Rm. 12.1,2), são rotulados de “quadrados” e “ultrapassados”. Os jovens que se guardam para o casamento e os que se dedicam aos estudos, não são bem vistos pelas “tribos” hedonistas. Jesus é, e continuará sendo, o exemplo para todos os jovens que querem servir a Deus, como O ideal de pureza e santidade, produzido com o Espírito (Gl. 5.22). Para tanto, jovens e adultos devem estar atentos à sábia recomendação do Apóstolo: “Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor” (II Tm. 2.22).

CONCLUSÃO
Existem muitas narrativas apócrifas da vida e da juventude de Jesus. Esses relatos, no entanto, nada têm de fundamentação histórica, e principalmente, bíblica. O pouco que nos é possível saber a respeito desses períodos da vida de Cristo se encontra nas Escrituras. E, como vimos, é o suficiente para nos motivar a viver em obediência à vontade de Deus, a fim de que, como Aquele Filho, e por meio dEle, desfrutemos do amor do Pai (Mt. 3.17).

BIBLIOGRAFIA
ARRINGTON, F. L.; STRONSTAD, R. (eds.). Comentário bíblico pentecostal: Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.

COHEN, A. C. A vida terrena de Jesus. Rio de Janeiro: CPAD, 2001

9 thoughts on “A infância de Jesus – 2

  1. muito bom o artigo,ainda mais a parte que fala sobre a paixões dos jovens e não esquecer a fé e o amor em deus.
    Muitos jovens esquecem isso,dizem que o evangelho é ultrapassado….
    Mais nen sequer sabem qual é o verdadeiro caminho,devemos seguir jesus,porque desde sua juventude era já um homem cheio de conhecimentos….

    Um grande abraço a todos….

  2. explicação bem clara nao deixa nada a desejar em termos de clareza .gostei muito de consulta-los espero continur faze-lo com mais frequencia

  3. Excelentes informações, que baseadas em estudos e conhecimentos, tratam com cauela tão maravilhoso texto. Estamos Felizes pelo estudo. Obrigado!

  4. MEu bom senhor, creio que haja ainda algumas passagens de fundamental relevância, como por exemplo quando Maria encontra Jesus nos seus poucos anos conversando no templo com ”Doutores da época” os quais se prostavam atentos naquele menino que apesar de pequenino mostrava-se ”sabido”, gostaria saber se de fato pode ter ocorrido

  5. É gozado; os crentes criticam a religião católicas, mas defendem os livros canônicos elaborados por Irineu, primeiro papa da igreja católica. A bíblia é a maior farsa escrita, ou seja, é uma novela antiga que nenhum dos testemunhos daquela época revelam qualquer existência de Jesus.

  6. Rex says

    Com que autoridade voce cita a biblia como a maior farsa escrta.
    Gostaria de chegar a um nível de conhecimento tal e qual o teu.
    Por favor sem ofensas, eu gostaria de chegar a esse patamar de conhecimento. Voce me orientaria, me ajudaria?
    Grat
    Alfeu

  7. Besteira, pelo que li não acrescenta em nada para sabermos como se deu a infância/juventude de Jesus,tudo na bíblia é muito “resumido” e passível de interpretação feita por pessoas que não viveram na época e, não possuem outras literaturas para comparar e chegar à conclusões mais acuradas, tudo gira em torno da bíblia… ficar comparando uma época passada para servir de exemplo para jovens que vivem num mundo globalizado, tecnologicamente avançado não ajuda muito na formação da juventude atual, utilizar-se da vida descrita na bíblia para tentar que jovens atuais da geração online se espelhem é irracional.

  8. quem e jesus eu preciso saber

    eu te amoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*
Website